terça-feira, 21 de junho de 2016

A VOLTA DO SKOL ROCK

Vaquinha virtual pretende lançar livro dos bastidores do Skol Rock
O Skol Rock ficou na lembrança da galera que curtiu aquele festival na Prainha, de 1994 a 1996. Blumenauenses, pessoal do Médio Vale do Itajaí, catarinenses e turistas brasileiros foram à loucura com o evento que acontecia nos finais de semana da Oktoberfest. Muita gente, uma banda nacional por noite e, à tarde, várias bandas locais faziam a festa rockeira naquele despraiado do bairro Ponta Aguda. Frejat, vocalista do Barão Vermelho, chegou a compará-lo a Woodstock na primeira vez que subiu ao palco por aqui. Muitas são as histórias legais da passagem dessas bandas pela cidade. E o Skol Rock em Blumenau pode ser revivido agora, com a publicação de livro sobre o festival.

Quando criei o projeto do Skol Rock, sabia que tinha em mãos uma pérola. Não que fosse uma invenção inédita. Festivais do gênero aconteciam em grandes capitais. O Rock in Rio é um exemplo. Mas Blumenau nunca tinha vivido nada igual. Do projeto à realização, foi um ano de trabalho. Além da idealização, tive o prazer de realizá-lo, coordenando todos os trabalhos nas três edições que aconteceram por aqui. Guardo na lembrança momentos mágicos, assim como centenas de milhares de pessoas que estiveram na Prainha, naquelas tardes e noites dos anos 90, também devem guardar. Agora, temos a chance de fazer com que essas lembranças voltem à tona. Desta vez, a volta do Skol Rock é via livro com suas histórias.

O livro do Skol Rock contará os bastidores do evento – aquilo que você não sabe, aquilo que você não viu. Como foi concebido, as dificuldades de realizá-lo em Blumenau, as aventuras das bandas nacionais por aqui, fatos pitorescos... e por que o evento deixou de ser feito. Tem muita história gostosa de ler, fotos boas de ver, a real história como nunca foi contada. Porém, para que este livro saia às ruas, torne-se uma realidade, é necessário um pequeno empurrão de cada leitor do blog, de cada curtidor do evento, de cada amigo. Isto porque sem este empurrão, o livro não sai, as ótimas histórias nele contidas não virão ao público, você não poderá conhecer os bastidores do evento. Vamos pegar junto nesta?  Imagino que nos ajudarmos para lançar o livro seja mais fácil do que foi, na época, para fazer o evento.

Para fazer desta ideia do livro uma realidade, foi criada uma vaquinha virtual. Contribuindo com apenas R$ 25,00, você garante a compra do livro antecipadamente e ainda ganha um ingresso free para a festa de lançamento do livro do Skol Rock. É simples e fácil. Dá para pagar até no cartão de crédito. Se preferir, rola boleto. Basta acessar www.vakinha.com.br/vaquinha/livro-skol-rock-blumenau, participar, e garantir seu livro e a festa. Só R$ 25,00 por ambas... vamos lá?  Para conhecer mais sobre o projeto, você pode curtir e acompanhar a fan page no facebook.com/livroskolrock. Agora, só depende de cada um de nós!


SEM GRAÇA

Por falar em fan pages, algumas que surgiram como engraçadas, fazendo a gente rir com posts hilários, estão migrando para a politicagem pura e simples. Perderam a essência e a noção. Estão se comparando às chatas páginas criadas por assessores de políticos com nomes sugestivos, mas que só martelam na mesma tecla, só enxergam um lado... parecem aqueles caras do estado islâmico. E, claro, nada somam para a cidade.


JURERÊ

Decisão judicial está dando o que falar em Floripa. Todos aqueles lounges comerciais que misturam bar e balada na beira da praia de Jurerê Internacional estão com os dias contados. Invadiram a restinga, tomaram conta de terras de marinha, fizeram de um espaço que seria público, algo privado. Como se trata de Jurerê Internacional e mexe com muitos intere$$e$, ainda vai dar muito o que falar...

Passei o reveillon por ali e considerei uma invasão a parada. Se fosse morador de Jurerê, não queria aquelas coisas por ali.


NOVA ONDA

Município do Rio de Janeiro inventou uma nova onda para se safar da falta de grana: calamidade financeira. Assim, conseguiu receber R$ 2 bilhões do Governo Federal para trocar as obras de metrô, obra de olimpíada. Se a moda pegar, haja município em calamidade...


NOVES FORA

Por falar nisso, já tem gente se perguntando se valeu a pena ter Copa do Mundo e Olimpíada por aqui. Muitos estádios da Copa estão abandonados. As obras de infraestrutura pública ficaram pelo caminho. Muitas mal começaram, outras tantas não terminaram. E o espólio turístico que se pregava, afunda quando atletas paralímpicos australianos são assaltados no Rio.

Qual era o objetivo, mesmo, desses eventos, para o bem do país?


METADE DO CAMPEONATO

A 5ª etapa do campeonato do Kart Clube Blumenau/Vale Europeu, anunciou que a competição chegou na metade. E as corridas foram emocionantes. Pegas direto, disputa  roda a roda em reta, ultrapassagens onde dava – e às vezes até onde não dava. Nem o frio de Ascurra naquele sábado (18) úmido atrapalhou a velocidade e a emoção.

Ótimos pegas marcaram a etapa. Este durou a prova toda.


Como sempre digo – e não me canso de dizer – a turma é ótima, os amigos são pé de chumbo e reencontrar esta galera a cada mês é um prazer. A próxima etapa está marcada para 23 de julho, no kartódromo de Indaial. Esperando desde já!  Tem mais informações no meu facebook ( https://www.facebook.com/profile.php?id=100009293206641&fref=ts )  ou no do Kart Clube Blumenau/Vale Europeu: https://www.facebook.com/Kart-Clube-Blumenau-1667898500156867/?fref=ts .

 Pódium da categoria Máster. Bona chegou na frente.

 Pódium da categoria Light. Caminha em primeiro.

Pódium do coração dos pilotos. Elas acompanham de perto, mesmo no frio.


Classificação Geral 2016


Categoria Máster

Lugar
Piloto
Pontos
Alexandre Pereira
70
Fabrício Wolff
67
Carlos Ribeiro
60
Eduardo Bonononi
56
Rodrigo Pereira
54
Cris Baifus
52
Sandro Locatelli
50
Rodrigo Estevão
30
Dudu Cunha
14
10º
Thiago Schwaemlle
08
11º




Categoria Light

Lugar
Piloto
Pontos
Taumaturgo/Paulo Piske
68
Naldo Borges
60
Nilton Leitempergher
54
Alexandre Caminha
50
Guilherme Puerari
47
Augusto Ittner/Diorgnes
38
Jackson Ramos
32
Jaime Avendaño
20
Oscar Grotmann (Casico)
18
10º
Everton Siemann
14
11º
Jandyr Nascimento
14



quarta-feira, 15 de junho de 2016

VIVO É MORTE PARA O CLIENTE

Ligações insistentes todos os dias, inclusive aos sábados: assédio moral.

Às vezes me pego pensando na teoria (e prática) da relação comercial. Toda empresa que vende um produto ou serviço, deveria ter um atendimento de excelência. Deveria ter, também, um pós venda eficiente. Afinal, fidelizar o cliente é a melhor estratégia para continuar vendendo. Porém, o que vemos na prática, na grande maioria dos estabelecimentos, é o contrário. Mesmo em tempos de crise econômica, onde o relacionamento e o conceito valem mais do que próprio produto/serviço, pois são eles que conquistam o cliente e catapultam o negócio, muitas empresas fazem exatamente o contrário.

Impressiona, no entanto, quando a empresa que comete as barbaridades é uma multinacional. Grandes empresas deveriam ter todo o conhecimento teórico e recursos suficientes para investir no bem estar do cliente. Não é isso, por exemplo, que a operadora de telefonia celular Vivo faz. Não bastasse a total inconveniência do telemarketing que liga várias vezes para oferecer a mesma coisa demonstrando total desorganização de seu sistema, agora a operadora deu para autorizar uma empresa de cobrança efetuar ligações gravadas para os clientes. Mas o que é incrível: as ligações vão também para clientes que nada devem à operadora.

Conforme mostra a imagem acima, as ligações são insistentes, várias a cada dia, inclusive (mas não só) nos horários mais impróprios como almoço e tarde da noite. No caso específico, o cliente, preocupado, ligou para a Vivo e... recebeu a informação (que já sabia) que não tem qualquer débito com a operadora. Quem atendeu na “Central Vivo” (8486) ainda informou que isto está acontecendo recorrentemente com bons clientes, que mantém suas contas em dia. Diante da informação que comprova a lambança e desrespeito da Vivo com seus clientes, era de se esperar que as ligações cessassem, certo?  Que nada... continuam a chegar e a importunar bons clientes, que estão ficando de saco cheio de serem clientes.

A visão que se passa a ter da operadora Vivo com este tipo de caso: é uma empresa bagunçada, que não tem o mínimo controle das contas daqueles que sustentam o negócio (os clientes que pagam suas contas), e que não possuem o mínimo respeito por eles. Diante do fato, acredito que cabem ações judiciais por assédio moral, visto que os clientes são ininterruptamente importunados e pressionados sem qualquer razão legal. Se todo mundo que é importunado pelo abuso de desorganização deste tipo de empresa fizessem com que tivessem prejuízo financeiro, quem sabe as coisas não mudariam?... Até porque se dependermos da Anatel para agir e coibir este tipo de prática, estamos, nós clientes, ferrados.

Quem sabe faz a hora não espera acontecer, já dizia a música de Geraldo Vandré. Se o consumidor não agir de verdade, de pouco adiantará ficar reclamando aos quatro ventos. É preciso se fazer respeitar, exercer a cidadania. Ou ser explorado para sempre por empresas que oferecem um serviço relaxado, sustentam-se com os milhões arrecadados de um povo complacente e despreparado.


FRIO DE OUTONO

Esses últimos dias mais frios de outono mostram que o inverno voltou. Depois de uns dois anos de trégua aqui na região, os comerciantes voltam a vender produtos para aquecer mãos, corpos, casas... Para quem gosta do frio, como eu, tudo bem. Mas para quem sofre com doenças respiratórias mais facilmente, ou mesmo não tem como se proteger do frio mais intenso, é um problema.


SEM CORAÇÃO

Aliás, a notícia de que um cãozinho morreu de frio em Benedito Novo porque seu dono não quis colocá-lo para dentro de casa, deixando-o no relento na madrugada, surpreende pela falta de humanidade. Dizem que até uma ONG tentou intervir, mas o dono sem coração não permitiu. Espero que seja uma informação fora do contexto, mal explicada, sei lá. Mas a gente ouve e vê tanta coisa...

Tem gente que não deveria jamais ter um animal de estimação. Quanto mais um filho.


FORA DA CURVA

A violência do assassinato de 50 pessoas em uma boate nos EUA demonstra a insanidade de alguns. A mesma insanidade, guardadas as proporções, de bandidos da torcida organizada Macha Azul, do Avaí, que invadiram uma casa, agrediram pessoas e quebraram pertences, só porque tinha gente com a camisa do rival Figueirense na residência. Em Joinville, possíveis “neonazistas” agrediram integrantes de uma banda de punk rock em um bar.

A intolerância crescente de nossos dias exige ação mais enérgica das autoridades.  


A QUEDA

Ok, a participação da seleção na Copa América foi um fiasco e Dunga caiu. Mas... e daí?  A incompetência e vitaliciedade dos dirigentes permanece. Enquanto não houver mudança de verdade, com profissionalização da direção do futebol em seus cargos mais altos, continuaremos neste troca-troca de técnicos que pouco resolve.


MOTORISTAS DE BLUMENAU

Dia desses, dirigindo-me ao Ibes Sociesc para dar aulas, mais uma vez verifiquei a total falta de educação de boa parte de nossos motoristas. Na rua Sete de Setembro, via de quatro pistas, bastou o cidadão à minha frente sinalizar que ia trocar de pista para o carro que vinha logo atrás acelerasse, impedindo a manobra natural. E depois reclamam que o trânsito não anda... mas com este tipo de atitude, não vai mesmo. Todo mundo vive com o pé no freio, sem contar com a colaboração do outro.

É por essas e outras que a capital São Paulo, de trânsito intenso, tem vias rápidas onde se anda (tirando o horário de rush, claro). Lá todos aceleram e quando um vai mudar de pista, o outro alivia para permitir a manobra.


MAIS UMA ETAPA

Sábado é dia de mais uma etapa do campeonato do Kart Clube Blumenau/Vale Europeu. Mais um dia para encontrar os amigos que também curtem a emoção da velocidade. É a 5ª etapa, metade do campeonato, e os pegas acontecerão no kartódromo de Ascurra a partir das 16h.

Vamos brincar. E também competir. Será show! Sempre é.

video
Vídeo "caseiro" promocional da 5a etapa, by Cris Baifus.


FACE DO KART CLUBE

O Kart Clube Blumenau/Vale Europeu tem um facebook com algumas postagens muito legais. Uma delas essa aí, de uma chegada emocionante na Nascar... https://www.facebook.com/Kart-Clube-Blumenau-1667898500156867/?fref=ts.


Pra quem curte, vale a pena dar uma olhada lá.

quarta-feira, 8 de junho de 2016

LIDERAR É UMA ARTE. PARA POUCOS.


Liderar com eficiência é saber deixar o orgulho de lado. Talvez esta não seja uma dica para sua carreira, mas sim para sua vida. (Rafael Russon)


A maior habilidade de um líder é desenvolver habilidades extraordinárias em pessoas comuns. (Abraham Lincoln)

As pessoas perguntam qual é a diferença entre um líder e um chefe. O líder trabalha a descoberto, o chefe trabalha encapotado. O líder lidera, o chefe guia. (Franklin Roosevelt)


Quem quiser ser líder deve ser primeiro servo. Se você quiser liderar, deve servir. (Jesus Cristo)


Liderança está diretamente associada à competência na construção de relacionamentos com valores nobres e sobre bases sólidas. (Alfredo Martini Junior)


Apenas um líder extremamente vil ou imensamente imbecil pode levar adiante a estúpida idéia de que a guerra promove a paz. (Augusto Branco)


Um líder não é alguém a quem foi dada uma coroa, mas a quem foi dada a responsabilidade de fazer sobressair o melhor que há nos outros. (Jack Welch)


Um líder que só se preocupa com sua autoridade e sua posição provoca aversão e abandono de seus súditos.(Helgir Girodo)


Em algumas situações, um líder poderá precisar ser duro com seus liderados, porém com respeito e justiça. Com o tempo, as pessoas entendem a dureza, mas nunca aceitarão injustiças e desrespeitos. (Alfredo Martini Junior)


Não se é líder batendo na cabeça das pessoas - isso é ataque, não é liderança. (Dwigth Eisenhower)

Um líder é um vendedor de esperança. (Napoleão Bonaparte)


São muitas as frases que tentam definir o que é um líder, algumas delas ditas por homens que exerceram incontestável liderança, como Jesus Cristo. A liderança é um dom, uma escolha e uma prática. Eles existem, mas geralmente não estão no lugar em que deveriam atuar. O caso mais emblemático é o caso do próprio Brasil. A população não elege líderes, não os reconhece. Escolhe pessoas comuns para liderar um país. Talvez este seja o início de nossos problemas. Mas o problema não está só no ente público. Está, também, nas empresas privadas.

A liderança é muito diferente do que um cargo de chefia. “Liderança é ação, e não posição” (Donald McGannon). Chefes temos aos montes por este Brasil afora. Geralmente mandam em pessoas, não lideram equipes. Não o fazem porque não sabem. Não tem o dom, nem sempre foi uma escolha e não entendem como praticar a liderança. Ética, respeito a todos e especialmente aos liderados e um extremo senso de justiça são atributos e práxis fundamentais para um líder. “É difícil liderar uma cavalaria se você não sabe montar a cavalo” (Adlai Stevenson).

Muito comumente as pessoas que tentam, mas não conseguem liderar, não o sabem por quê. Não são suficientemente maduras, não são suficientemente seguras para serem líderes.A primeira pessoa que você lidera é a si próprio” (Jonh Maxwell). Se o pretenso líder não tiver em si a auto-suficiência própria dos líderes, nunca o será. Aliado a esta auto-suficiência, o líder nato precisa ter um senso apurado de humildade, capacidadade de resiliência. É fato que “um bom líder toma um pouco mais de sua parte na culpa e um pouco menos de sua parte no crédito” (Arnold Glasgow). Particularmente, eu diria que o líder é aquele que assume as responsabilidades, divide os méritos, constrói relacionamentos, colabora com o crescimento de seus seguidores e age, sempre, com apurado senso de justiça. Não da “sua” justiça, mas daquilo que é efetivamente justo para os seus colaboradores.

O líder de verdade precisa ter um desprendimento aguçado. Precisa buscar o bem do todo e os objetivos a serem alcançados, relevando o tempo todo o bem de seus seguidores. O líder se sacrifica como exemplo, não como moeda de troca ou possibilidade de cobrança. “Grandes líderes mudam de estilo para levantar a auto-estima de suas equipes. Se as pessoas acreditam nelas mesmas, é impressionante o que elas conseguem realizar” (Sam Waltom). O líder de verdade reconhece o erro, pede desculpas se necessário. Líder é aquele que lidera ao natural, que provoca naqueles que o cercam o sentimento de união, de grupo, de família. Um líder se torna líder porque os que o cercam o admiram, muito especialmente pelo bom senso, amplo olhar humano e pelo senso de justiça.
 
Talvez, por isso tudo, estejamos tão carentes de líderes de verdade.


PAIS OMISSOS

Com todo o respeito à dor das pessoas que sofrem a violência de uma perda... aquele caso do menino de 10 anos que roubou arma, carro, trocou tiros com a PM e foi morto por um policial merece a prisão dos pais. Que tipo de educação e atenção deram a esta criança?  Falta liderança familiar também aí.


Parece que a imprensa nacional e especialmente o povo dos Direitos Humanos aponta para o foco errado.


OUTRO CASO

No caso da adolescente vítima de estupro coletivo no Rio de Janeiro, a omissão dos pais também deveria ser razão de preocupação. Prisão e punição exemplar a todos os bandidos que a estupraram. Mas se os pais passarem ilesos no processo, casos como este podem se repetir. Os pais são omissos, não educam e nem sabem por onde e com quem os filhos andam. Assim é fácil botar filhos no mundo.

A falta de estrutura da instituição família é clara em ambos os casos. O papo até pode parecer careta, mas o resultado está aí para avaliação, infelizmente.


RODÍZIO

Brusque acaba de inventar um novo tipo de rodízio: de prefeitos. A cada ano entra um. Primeiro foi o do PT, reeleito, que caiu porque teria exagerado nas verbas de publicidade. Depois entrou um interino, do PSD, que acaba de cair. Agora assume um do PP. Todas as quedas judiciais, claro. Se descontinuidade realmente prejudicar o trabalho como dizem...


EXAGERO

A manchete no Facebook de que “Planalto corta pelo menos R$ 8 milhões de sites simpáticos ao PT” assusta. Que amigos sempre foram beneficiados com os favores da lei, todos sabemos. Mas que toda esta quantia de nossos impostos eram utilizados para este fim... ah!, isso assusta.  http://istoe.com.br/planalto-corta-pelo-menos-r-8-milhoes-de-sites-simpaticos-ao-pt/


PRA MIM O QUÊ?


Esta imagem está rodando nas redes sociais. Engraçadinha, a cara da menina diz tudo...

Erros de português são sempre mal vindos (e está cheio por aí... nas placas, cartazes, nos textos, na fala), mas alguns extrapolam o bom senso. Quem não ouviu a professora dizer, lá no início na escola, que a gente não é índio?  Logo, não existe a expressão MIM antes de verbo (“pra mim fazer”, ”pra mim jogar”, “pra mim comer”, “pra mim entregar”, “pra mim falar”...). A não ser que seja separada por uma vírgula, mas aí já é outra história.

Alguns erros, como este, doem nos ouvidos.


TRIO PARADA DURA

Nem cheguei a comentar pós evento, mas a mesa redonda em que reuni, pela disciplina de Ética Jornalística do Ibes Sociesc, da qual sou professor, os colegas Alexandre Gonçalves, Carlos Tonet e Francisco Fresard (Pancho) para debater a ética nos dias atuais, foi show de bola. Tema sempre intrigante em momento mais do que oportuno. Alunos e profissionais que compareceram, curtiram. O debate virou até questão de prova, ontem.


Obrigado aos amigos pela disposição. O jornalismo local ganhou com isso.


BEM VINDO, INVERNO!


Há quem não goste. Há quem reclame do calor intenso do verão e também quando o frio pega. Eu, particularmente, sinto-me bem melhor quando as temperaturas caem. Quando mais, melhor. O inverno começou antes do calendário com sol e temperaturas bem baixas nesta quarta, 8. Mas vai cair mais, segundo a meteorologia. O ápice desta friaca é prevista para sexta-feira. Que venha!

Aliás, nunca entendi porque a palavra meteorologia tem seu radical em meteoro. Vale uma pesquisa.

Dia claro e frio em Blumenau. Previsão de mais frio ainda.

sexta-feira, 3 de junho de 2016

POR QUE O TEMPO PASSA MAIS RÁPIDO QUANDO FICAMOS MAIS VELHOS?


Não, o texto abaixo não é meu. O recebi há muito tempo, antes mesmo de ter o blog e o perdi. Numa dessas pesquisas doidas de internet, o reencontrei. Com algumas pequeníssimas modificações (de minha autoria) em sua segunda parte, divido-o com vocês. É muito raro eu publicar um texto que não seja meu. Mas este é fora do comum, uma experiência.

A primeira parte é fantástica e explica cientificamente porque não vemos o tempo passar. Vale a pena ler com calma. A segunda parte nos mostra que viver é uma questão de opção.

Aproveite.


COMO O CÉREBRO HUMANO MEDE O TEMPO

O cérebro humano mede o tempo por meio da observação dos movimentos.

Se alguém colocar você dentro de uma sala branca vazia, sem nenhuma mobília, sem portas ou janelas, sem relógio… você começará a perder a noção do tempo.

Por alguns dias, sua mente detectará a passagem do tempo sentindo as reações internas do seu corpo, incluindo os batimentos cardíacos, ciclos de sono, fome, sede e pressão sanguínea.

Isso acontece porque nossa noção de passagem do tempo deriva do movimento dos objetos, pessoas, sinais naturais e da repetição de eventos cíclicos, como o nascer e o pôr do sol.

Compreendido este ponto, há outra coisa que você tem que considerar:

Nosso cérebro é extremamente otimizado. Ele evita fazer duas vezes o mesmo trabalho.

Um adulto médio tem entre 40 e 60 mil pensamentos por dia. Qualquer um de nós ficaria louco se o cérebro tivesse que processar conscientemente tal quantidade.

Por isso, a maior parte destes pensamentos é automatizada e não aparece no índice de eventos do dia e portanto, quando você vive uma experiência pela primeira vez, ele dedica muitos recursos para compreender o que está acontecendo.

É quando você se sente mais vivo.

Conforme a mesma experiência vai se repetindo, ele vai simplesmente colocando suas reações no modo automático e ‘apagando’ as experiências duplicadas.

Se você entendeu estes dois pontos, já vai compreender porque parece que o tempo acelera, quando ficamos mais velhos e porque os Natais chegam cada vez mais rapidamente.

Quando começamos a dirigir automóveis, tudo parece muito complicado, nossa atenção parece ser requisitada ao máximo.

Então, um dia dirigimos trocando de marcha, olhando os semáforos, lendo os sinais ou até falando ao celular ao mesmo tempo.

Como acontece?

Simples: o cérebro já sabe o que está escrito nas placas (você não lê com os olhos, mas com a imagem anterior, na mente); o cérebro já sabe qual marcha trocar (ele simplesmente pega suas experiências passadas e usa, no lugar de repetir realmente a experiência).

Em outras palavras, você não vivenciou aquela experiência, pelo menos para a mente. Aqueles críticos segundos de troca de marcha, leitura de placa… São apagados de sua noção de passagem do tempo…

Quando você começa a repetir algo exatamente igual, a mente apaga a experiência repetida.

Conforme envelhecemos, as coisas começam a se repetir – as mesmas ruas, pessoas, problemas, desafios, programas de televisão, reclamações… enfim… as experiências novas (aquelas que fazem a mente parar e pensar de verdade, fazendo com que seu dia pareça ter sido longo e cheio de novidades), vão diminuindo.

Até que tanta coisa se repete que fica difícil dizer o que tivemos de novidade na semana, no ano ou, para algumas pessoas, na década.

Em outras palavras, o que faz o tempo parecer que acelera é a…

ROTINA

Não me entenda mal.

A rotina é essencial para a vida e otimiza muita coisa, mas a maioria das pessoas ama tanto a rotina que, ao longo da vida, seu diário acaba sendo um livro de um só capítulo, repetido todos os anos.

Felizmente há um antídoto para a aceleração do tempo: M & M (Mude e Marque).

Mude, fazendo algo diferente e marque, fazendo um ritual, uma festa ou registros com fotos..

Mude de paisagem, tire férias (sugiro que você tire férias sempre e, preferencialmente, para um lugar quente, um ano, e frio no seguinte) e marque com fotos, cartões postais e cartas.

Tenha filhos (eles destroem a rotina) e sempre faça festas de aniversário para eles, e para você (marcando o evento e diferenciando o dia).

Use e abuse dos rituais para tornar momentos especiais diferentes de momentos usuais.

Faça festas de noivado, casamento, 15 anos, bodas disso ou daquilo, bota-foras, participe do aniversário de formatura de sua turma, visite parentes distantes, entre na universidade com 60 anos, troque a cor do cabelo, deixe a barba, tire a barba, compre enfeites diferentes no Natal, vá a shows, cozinhe uma receita nova, tirada de um livro novo.

Escolha roupas diferentes, não pinte a casa da mesma cor, faça diferente.

Beije diferente sua paixão e viva com ela momentos diferentes.

Vá a mercados diferentes, leia livros diferentes, busque experiências diferentes.

Seja diferente.

Se você tiver dinheiro, especialmente se já estiver aposentado, vá com seu marido, esposa ou amigos para outras cidades ou países, veja outras culturas, visite museus estranhos, deguste pratos esquisitos….. em outras palavras.. V-I-V-A. !!!

Porque se você viver intensamente as diferenças, o tempo vai parecer mais longo.

E se tiver a sorte de ter alguém disposto(a) a viver e buscar coisas diferentes, seu livro será muito mais longo, muito mais interessante e muito mais v-i-v-o… do que a maioria dos livros da vida que existem por aí.

Cerque-se de amigos.

Amigos com gostos diferentes, vindos de lugares diferentes, com religiões diferentes e que gostam de comidas diferentes.

Enfim, acho que você já entendeu a idéia, não é?

Boa sorte em suas experiências para expandir seu tempo, com qualidade, emoção, rituais e vida..

- - -

No seriado Arquivo X, uma frase abria a imaginação para os acontecimentos que viriam: "a verdade está lá fora". 

Penso que podemos adaptá-la para "a vida está lá fora".


Carpe diem!


PS - Publiquei este texto originalmente neste blog em 2009. Como já faz tempo, hoje o blog recebe muitos visitantes a mais e diferentes e o texto é muito bom, resolvi republicá-lo para os meus novos leitores.  ;)