quinta-feira, 22 de setembro de 2016

PROGRESSÃO AUTOMÁTICA, UM DESRESPEITO

Progressão automática: tiro na educação de verdade.

Todo mundo sabe – ou pelo menos diz ou já ouviu dizer – que a educação é o futuro do país. Tudo bem... deveria ser o presente, mas aqui no gigante adormecido tudo demora mais um pouco, o processo é sempre mais lento. Quem está atento à importância da educação para uma nação, já ouviu falar também do Japão pós segunda guerra mundial. É, provavelmente, o exemplo mais clássico de como a educação, no caso específico voltada para a tecnologia, pode impulsionar economicamente um país. Há muitos outros exemplos mundo afora que demonstram que o conhecimento transmitido e adquirido no ensino escolar modifica para melhor seu povo, a nação e, por conseqüência, o país.

Na contramão de tudo o que se sabe sobre a importância da educação, o Governo do Estado de Santa Catarina acaba de anunciar a implantação da “promoção automática” para os alunos das primeiras, segundas e terceiras séries do ensino fundamental. Na prática, o aluno passa de qualquer jeito até a terceira série, saiba ou não ler e escrever, saiba ou não as continhas básicas da matemática. Só ao final da terceira série, haverá uma avaliação do aprendizado. E será exatamente aí, neste momento, que a porca torcerá o rabo. Se o aluno não souber, não tiver aprendido tudo o que precisaria saber na primeira e segunda série, o que fazer?

A patuscada governamental pode ser criticada de todas as formas. Primeiro porque promover os alunos às séries superiores é um desrespeito ao próprio aluno, pois não leva em consideração o seu nível de aprendizado. Há quem defenda que a tal “promoção automática” não respeita nem mesmo as Leis de Diretrizes Básicas da Educação. Mas este ato por decreto, desrespeita mais: desrespeita os pais dos alunos, que não terão real noção de como seus filhos estão no processo de aprendizagem – fundamental para que, no futuro, sejam alguém na vida. Desrespeita o princípio da ‘meritocracia’, nivelando todas as crianças dessas três primeiras séries por baixo, uma vez que passarão de uma série para outra sabendo ou não sabendo, esforçando-se ou não. Desrespeita a inteligência da sociedade, por motivos óbvios.

Dei aula no ensino superior trabalhando com textos. Sei da dificuldade de boa parte dos estudantes universitários com a língua portuguesa. O ensino de base já é deficiente, pelas mazelas da educação que todos sabemos. Professores desmotivados, alguns mal preparados, dificuldades de investimentos nas escolas, teoria ‘conteudista’ de ensino. Com avaliação ano a ano, os alunos chegam à universidade com parcos conhecimentos de base. Imagina empurrando as crianças adiante com a barriga, série após série, sem avaliação de aprendizado, sem constatação da sua capacidade de avançar para o passo seguinte. Santa Catarina, mais do que um tiro no pé, pode estar dando um tiro no peito. No coração do futuro.


ELEIÇÕES 2016 - I

Continuo acompanhando os programas de tevê dos candidatos a prefeito, a estratégia de cada um (os que têm, claro) embutida neles e a repercussão junto aos meus grupos e contatos. E, claro, rindo com a leitura que o colega Carlos Tonet faz em seus posts facebokianos.


ELEIÇÕES 2016 - II

Na prática de rua, as novas regras eleitorais mudaram em muito a percepção das pessoas sobre a campanha. Ela se tornou muito mais midiática e corpo-a-corpo do que visual. Fim de outdoors, placas em casas e terrenos e nas calçadas deram uma limpada na área. O tempo mais curto faz os candidatos correrem mais, mas o desgaste ao longo do tempo é menor.


ELEIÇÕES 2016 – III

Porém a mudança que mais parece ter mexido com a campanha é a proibição da contribuição legal de empresas para as candidaturas. A força de trabalho paga somente no período eleitoral, muito comum no passado, despencou. Quem ficava esperando uma graninha extra nesses poucos dias, deu com a cara na porta. A eleição está mais clean em (quase) todos os aspectos. 


ELEIÇÕES 2016 – IV

Por convite da Associação Empresarial de Pomerode (ACIP) estive naquele belo município para mediar o debate entre os candidatos Ércio Krieck (DEM/PSDB/PP/PSD/PRB) e Rolf Nicolodelli (PMDB/PT/ PDT/PR). Foi um evento cívico-democrático bem legal, no plenário da Câmara de Vereadores. Foi, aliás, a segunda eleição municipal consecutiva que mediei na querida Pomerode.

 Ótimo debate em Pomerode.


EXPERIÊNCIA

Vivi interessante experiência na noite da última quarta-feira, quando fui convidado pela coordenação do curso de Jornalismo da Universidade Regional de Blumenau para falar para estudantes de ensino médio no evento Interação Furb. A pauta era falar de minha vida de 36 anos de jornalismo e minha paixão pela profissão em 10 minutos. Foi massa!  Penso que a gurizada gostou. Tão bom quanto dividir a experiência com alguns colegas de profissão, que também falaram aos futuros universitários.

Parabéns Furb pela iniciativa!

Colegas da Assimvi também falaram aos estudantes.
  

NOITE DE KART

Daqui a pouco (20h) acontece a 8ª (e antepenúltima) etapa do campeonato do Kart Clube Blumenau. Será no kartódromo de Indaial. A disputa está tão grande pelas primeiras posições, que toda corrida, agora, é uma decisão.


Vamos que vamos!


quinta-feira, 15 de setembro de 2016

ADEUS CUNHA, PARCEIRO DE DILMA


Apesar de todo o aparato extra oficial que armou na Câmara dos Deputados e forte influência que exerceu sobre seus pares, Eduardo Cunha foi defenestrado do cargo de deputado federal. Ainda que eleito pelo voto direto, Cunha foi cassado por uma mentirinha no depoimento que prestou em uma Comissão Parlamentar de Inquérito. Disse que não tinha conta bancária no exterior, mas tinha. Mentira muito maior a cassada ex-presidente Dilma Roussef aplicou na população durante a campanha eleitoral. Mentira muito mais grave, que enganou a população. Ela disse que estava tudo bem quando sua política econômica enterrava o país e protelava o pior para depois da eleição.

O que une Dilma e Cunha – além de ambos não reconhecerem que caíram por seus próprios atos e erros, o que convenhamos, é bem próprio da arrogância que os assemelha – é que os dois não caíram exatamente por aquilo que fizeram. Dilma caiu porque mentiu deslavadamente para a nação e acabou de jogar a economia nacional no fundo do poço. Mas legalmente foi derrubada por causa das “pedaladas fiscais”. Cunha caiu, na realidade, porque está sendo investigado por zilhões de falcatruas e sabe-se que o dinheiro no exterior é fruto de corrupção. Mas legalmente foi porque disse mentirinha na CPI.

Porém Cunha e Dilma têm outras semelhanças. Deram as cartas enquanto estavam no poder e conseguiram comprar apoio político. Assim que foram afastados do poder da caneta (ela temporariamente antes de cair de vez, ele porque renunciou) perderam os atrativos que faziam com que tivessem aliados. Compraram interesses. Assim que perderam força, os interesses mudaram de lado. Isso não é traição, como alegam ambos. A isto se chama conveniência. Quem ganha poder aproveitando-se da conveniência de comprar apoio, perderá este apoio quando ele não foi mais conveniente aos apoiadores. Quiserem posar de vítimas. Dilma e Cunha trocaram acusações de que um derrubou o outro. Balela pura. Eles se auto derrubaram no momento em que praticaram atos que não deviam e não reconheceram os erros. No entanto, a arrogância e o ego não deixam enxergar o próprio rabo. Muito mais fácil – e conveniente – colocar a culpa nos outros.

As quedas de Cunha e Dilma não devem arrefecer os ânimos e as investigações. Não foi o fim de uma era de corrupção, mas podem representar o início de uma de limpeza da política brasileira. Há de se chegar nos demais líderes das quadrilhas de corrupção instaladas neste país. Há gente graúda andando livremente pelas ruas, dando palestras e discursos. Há que se penalizar penalmente os ladrões dos cofres públicos, mesmo depois da perda de mandato. Há de se colocar na cadeia os ladrões dos cofres públicos (sejam políticos, empresários, lobistas...). Mas tudo isto será em vão se o eleitor, a cada pleito, não escolher direito seus representantes. Se o eleitor desinformado já é um grande mal para o país, o analfabeto político (ver Bertold Bretch) e o eleitor corrupto são câncer social tão maligno quanto os políticos corruptos que, a partir da Ilha de Lost chamada Brasília, se esparramam por este país afora. 


LULA LÁ   

E no fechamento da coluna, Lula todo enrolado pela República de Curitiba. Que não seja só espuma, haja pelo menos uma marolinha...


DE TEVÊ

Gosto muito de acompanhar os programas eleitorais gratuitos de televisão para ver a estratégia de discurso utilizada por cada candidato. Se a gente prestar atenção na construção da ideia que se tenta fazer na cabeça do eleitor, dá pra notar que a eleição bipolarizada em Blumenau é uma realidade. Os demais candidatos são coadjuvantes de menor expressão. Desses, alguns criticam e propõem. Alguns só criticam. Nesses, é preciso ter coragem não só para votar, mas para agüentar o discurso.


PROTESTO

Uma terceira via em uma eleição municipal só é possível quando o candidato que a representa tem consistência. Caso contrário, esta terceira via é tão animadora quanto votar no hipopótamo Cacareco. Ou votar branco ou nulo. Aliás, analistas prevêem um grande números de votos inválidos para esta eleição, fruto da balburdia de corrupção que acompanhamos na mídia nacional nos últimos meses. Deve ficar entre 25%  e 30%... algo em torno de 65 a 69 mil votos em Blumenau.

O voto de protesto, seja pela abstenção, nulo, branco ou em candidato estapafúrdio, no entanto, é sempre um tiro no pé.


INDÚSTRIA DA DEMAGOGIA

Li este texto no face. O autor é Luis Paulo Bueno, servidor concursado do município de Blumenau. Conheço-o pessoalmente e tenho muito respeito pelo seu profissionalismo e bom senso. Reproduzo abaixo seu texto na íntegra:

Mais de 25 anos trabalhando com o trânsito. 
Criei o Programa Paz no Trânsito de Blumenau, que ganhou vários prêmios nacionais na categoria.
Criei a Escola Pública de Trânsito, que levou e ainda leva palestras e atividades para milhares de pessoas. 
Da minha prancheta, centenas de projetos para aumentar a segurança no Trânsito ganharam as ruas do município.
Mas a cada relatório de acidentes com vítima, me sinto impotente. Porque sempre considerei morrer num acidente de trânsito uma morte estúpida e desnecessária. Todos os acidentes de Trânsito são evitáveis. Ou seja, alguém deixou de fazer alguma coisa que evitaria o acidente. É por isso que a fiscalização de Trânsito é fundamental nesta guerra.
E se tem uma frase que me deixa indignado é a tal "indústria da multa". O que temos, amigo, é uma indústria de infratores, que querem continuar na prática nefasta de agir de forma irresponsável e impune. É assim que o sangue continua a escorrer pelo asfalto. Pela negligência, imprudência e irresponsabilidade.
Mas enquanto eu encontrar forças, trabalharei para mudar essa triste realidade. Não vou desistir e nem embarcar em discurso demagogo”.


INCOERÊNCIA

Só infratores, motoristas que desrespeitam as leis de trânsito, são multados. Logo, quem fala, prega ou defende que existe uma “indústria da multa” defende a ilegalidade. Sei de agentes de trânsito que ficam acuados quando interpelam ou multam alguém, porque o infrator quer estar com a razão, acha que está acima da lei. Este motorista se iguala aos políticos de Brasília que tanto criticamos. Fazem a coisa errada e querem ter razão na marra.

A incoerência é a marca desta gente.


ASSOCIAÇÃO DE IMPRENSA

Nova diretoria no dia da posse

No último sábado, dia 10, a Associação de Imprensa do Médio Vale do Itajaí (Assimvi) elegeu e empossou sua nova diretoria. Ao todo são 26 integrantes em Blumenau e 8 delegados em municípios vizinhos. Tive a honra de ser convidado a me candidatar a presidência. Aceitei, montei a equipe e até 2018 teremos bastante trabalho pela frente. Sucedo meu amigo Alexandre Pereira, ex-presidente que passa a compor o Conselho de Ética.

Para entender melhor o que é a Assimvi, acesse www.assimvi.com.br e siga no face: facebook.com/assimvi. 



quinta-feira, 8 de setembro de 2016

O ELEITOR PRECISA MUDAR

Foto: Marcelo Martins

Por mais incrível que possa parecer depois de tudo que passamos nos últimos meses, manifestações gigantescas de rua contra a corrupção, queda de uma presidente da República e todos os etcétaras possíveis para marcar esses episódios extremamente negativos para a nação, em plena segunda década do século XXI ainda tem eleitor querendo se aproveitar da política, ao invés de aproveitar o momento político para fazer as escolhas certas e dar uma guinada neste estado de coisas.

Alguns candidatos a vereador me relatam que em suas andanças por Blumenau, tem recebido todo o tipo de pedidos: de areia de construção a emprego, de dinheiro para pagar contas pessoais até dentadura. Há também os que querem pagamento para colocar adesivos no carro ou na casa. Os pedidos, claro, vem com a promessa de votos. Se isso acontece em Blumenau, cidade com nível social bastante razoável considerado um dos melhores índices de desenvolvimento humano do país, imagino como será em outros lugares sabidamente menos privilegiados...

O que assusta, no entanto, é ver que apesar do estado de coisas que se tornou a política brasileira, com tanta falcatrua, tanta corrupção, tantos desmandos, ainda haja eleitor querendo barganhar seu voto ou apoio. Este eleitor que quer levar uma “vantagenzinha” para votar em alguém, é aquele que colabora para o tal estado de coisas que, depois, todos tanto criticamos. Este eleitor que assim age ou pensa, é aquele que colabora com a corrupção existente na política e no país. É este eleitor que, quando comprado, coloca o político corrupto no poder.

Cada vez mais acredito que a classe política é a representação fiel dos eleitores brasileiros. Como há muito mais político chegado a uma corrupção do que políticos sérios e honestos (sim, embora em minoria eles existem também!), é compreensível acreditar que há muito mais eleitores com mentalidade eleitoreira corrupta do que eleitores conscientes, que pesquisam os candidatos, sua vida pregressa, seu trabalho e suas propostas. É por esta razão que cada vez que ouço alguém dizer que, revoltado, não vota mais em ninguém, vejo quanta burrice ainda vive em nossa democracia. O “inteligente” que vota em branco ou anula o voto, permite e aceita que o eleitor corrupto coloque políticos corruptos no poder.

É impossível que depois de assistir a tantas barbaridades feitas pelos maus políticos, o eleitor ainda corrobore essas práticas tentando levar vantagem eleitoreira negociando seu voto por favores ou mesmo batendo no peito burramente dizendo que não vota como protesto. Ambos não podem, depois, reclamar do estado de coisas vivido no Brasil. Eles são os primeiros a colaborar com toda esta corrupção existente e que não deixa a gente acreditar no futuro desta nação. Que país é este?  


CONTRAMÃO

No jornal do primeiro semestre deste ano, produzido pelos alunos de Jornalismo do Ibes/Sociesc, ainda sob minha orientação, um fato causou estranheza. Em plena efervescência da política no país, com manifestações nas ruas e redes sociais, a União Blumenauense dos Estudantes (UBE) está morta. Ou pelo menos adormecida. Não há diretoria, nem qualquer movimento. Parou no tempo, bem no momento em que o tempo clama por novas posturas e atitudes.

O que está acontecendo com o movimento estudantil em Blumenau? 


VAI AOS FUNDOS

Investigação agora é em cima dos fundos de pensão. Falam em R$ 8 bilhões de prejuízo, mas pode ser muito mais. Resta saber: 1. Se os nomes dos ladrões que comandavam esses grupos e roubaram será divulgado. 2. Se eles serão (e ficarão) presos. 3. Se há indicações políticas nesses nomes. 4. Se os bancos estatais envolvidos vão cobrir o dinheiro roubado, uma vez que fundos como Funcef e Brasilprev tinham credibilidade e grande adesão exatamente por utilizar o nome desses bancos (Caixa e Banco do Brasil).


BOM EXEMPLO


Farmácia Popular, na rua XV, deixa bem à vista seu recipiente para coleta de remédios vencidos. Demonstra preocupação com a saúde das pessoas e com o meio ambiente, uma vez que um remédio descartado de forma errada pode ser bem prejudicial.

Queria ver em outras farmácias também. E nos supermercados, recipiente para recolher pilhas e baterias. Ação útil que rende imagem positiva junto aos clientes.


DA IMPRENSA

A Associação de Imprensa do Médio Vale do Itajaí (Assimvi) empossa nova diretoria neste sábado, dia 10, em almoço na Sociedade Ipiranga de Blumenau. Ao todo, 26 nomes de profissionais dos diversos veículos de comunicação da cidade fazem parte deste novo grupo, além de oito delegados de municípios vizinhos. A integração, capacitação e crescimento profissional dos integrantes da imprensa do Médio Vale do Itajaí, sejam eles profissionais do mercado ou acadêmicos de faculdade, são os objetivos da Assimvi.


HONRADO

Particularmente, fico honrado em assumir a liderança do grupo na vez de presidente. Faço parte da diretoria da Assimvi desde sua criação, em setembro de 2003, mas em outras vezes que meu nome foi lembrado para assumir a presidência, a correria do dia a dia impediu aceitar tal honraria. Agora, porém, é hora de tocar a gestão de dois anos, com a colaboração e parceria dos integrantes da diretoria e dos profissionais de imprensa como um todo.


DIFERENÇA TOTAL

Quem gosta de esportes e acompanha o longo campeonato brasileiro de futebol, já deve ter notado que a arrancada inicial é sempre diferente da chegada. Desta vez resolvi traduzir isto em fotos.

No dia 27 de maio, após a terceira rodada do Brasileirão, publiquei essas fotos abaixo. Veja como Santa Cruz, Internacional e Chapecoense estavam entre os cinco primeiros. Botafogo e Coritiba apareciam juntos, em oitavo. O Flamengo era só o 11º lugar e o Atlético Mineiro o 14º.
  
 Classificação após a terceira rodada


Agora, a posição dos clubes um pouco depois da metade do campeonato, depois dos jogos atrasados que aconteceram nos dias 3 e 4 de setembro.

Classificação no dia 05 de setembro, após 22 rodadas

Dá pra notar como o Santa Cruz, de “coelho” de início de campeonato, caiu para a penúltima posição. Aliás, dos quatro na zona de rebaixamento, só o América permanece. O Inter também foi do G4 para o Z4. Flamengo e Atlético Mineiro subiram muito. O Atlético do Paraná também. De último para 9º lugar. As mudanças foram muitas, hein?  Quantas acontecerão até a última rodada?



quarta-feira, 31 de agosto de 2016

FELIZ DIA DAS BRUXAS

 
Dilma perdeu. Projeto do PT também.


Há certas coisas das quais não se pode fugir, não se consegue escapar. Uma delas é escrever em um blog opinativo um texto sobre a queda da (agora ex) presidente (com “e”) Dilma Roussef. Nem que não quisesse. É natural. É um dos fatos políticos mais importantes da história do país. Assim como Dilma também não conseguiria escapar do impeachment. Calcado juridicamente nas chamadas “pedaladas fiscais” o impedimento de Dilma foi alicerçado na crise econômica, mas antes disso na própria arrogância petista durante os 13 anos de poder.

Dividir o país entre prós e contras é um câncer. Faz mal para a nação, fez pior para quem dividiu. Não entendo por que, mas há uma tendência que parece muito natural os petistas verem os adversários como inimigos. Se você não pensa como eles, está contra eles. E não é assim que a coisa funciona na prática. Muito menos em um país democrático. Você pode, sim, discordar sem ser inimigo; criticar sem querer a derrocada. A nação não precisa ser azul ou vermelha; não precisa estar a favor ou contra. Isto apequena o debate, não contribui com o avançar da democracia. É totalmente desinteligente.

Nesses 13 anos de poder, esta arrogância criou repulsa. Conseguiu colocar mais gente contra do que a favor. Conseguiu subtrair ao invés de somar. Isto terminou neste dia 31 de agosto (considerado no Brasil o “Dia das Bruxas”) no Senado Federal, por 61 votos a 20. Terminou antes nas ruas. Sepultou num projeto que poderia até ir além, não fosse a capacidade de ter arregimentado tantos inimigos. Que o modus operandi petista até aqui, enquanto poder, sirva de lição do que não deve ser feito.

A prática dos governantes, seus assessores e militância reflete no estado de ânimo dos cidadãos, até mesmo de seus comandados. Primeiro se perde a admiração, depois o respeito, por fim o apoio. Respeito se conquista, não se impõe. Com ele, o apoio vem ou permanece. A derrocada de um projeto depende da inteligência com que se trabalha o respeito às pessoas e às discordâncias. Já dizia um velho ditado que “a política é a arte de administrar os contrários”. Diria até mais do que isso: de tratar bem, com o respeito devido, também os parceiros.


ERA OUTRO

Meu texto principal de hoje falaria sobre o eleitor. Mais precisamente sobre a postura do eleitor, vislumbrando a eleição que se avizinha. Mas como disse lá em cima, na primeira linha, há certos dias de que não se consegue fugir de certos temas. “O eleitor” fica pra semana que vem.


NÃO VAI

O país vai virar o mundo de Alice (das maravilhas) com a queda de Dilma?  Não, não vai. Mas a zoeira que gerava insegurança política e econômica que vivíamos deve acalmar. Aos poucos, o mercado pode responder e quem sabe sairemos da crise com mais rapidez. Temer não é santo. Ok, ninguém é. Se ele trabalhar só um pouquinho, sem mirabolâncias nem arrogância, quem sabe a gente comece a sair do buraco. Não é a salvação. Longe disso. Mas acende uma réstia de esperança.


DESANDOU

Se os números não mentem, a matemática mostra que foi pior Dilma ir ao Senado tentar se defender. Na votação anterior, quando os senadores votaram pela admissibilidade do impeachment, a ex-presidente teve 59 votos contra si. Hoje, depois de sua autodefesa de ontem, foram 61.


CONSOLAÇÃO CARA

O prêmio de consolação que resolveram dar para Dilma no apagar das luzes, mantendo seus direitos políticos, vai custar caro aos brasileiros. Cunha deve ser o próximo a obter a vantagem. E todos os outros corruptos futuramente cassados também.


CORRE DO PAU

Houve uma época em que ser candidato a reeleição era bom, todos queriam. A coisa mudou. A crise econômica nacional e a míngua na qual vivem os municípios, provocada pela má distribuição dos recursos arrecadados por impostos e taxas, fez pelo menos três prefeitos de cidades conhecidas dos blumenauenses recuarem e jogarem a toalha. Foi assim em Florianópolis, Jaraguá do Sul e Taió. Por razões diferentes, preferiram cuidar de suas vidas do que ficar com a bomba na mão.


EM ALTA

Depois que a Justiça Federal abriu precedente para que amantes possam ingressar judicialmente para dividir pensão com a esposa, em caso de morte do amante-marido, agora em país europeu um projeto de lei quer que as mulheres sejam obrigadas a identificar seus amantes. Pelo visto o mercado está em alta...


WEB DEPRÊ

Agora a ciência quer comprovar matematicamente que algumas fotos podem indicar viés de depressão do dono da rede social. O pacote ‘descobridor’ vai de muitas selfies (fotos solitárias) a filtros que tiram a ‘vida’ das fotos (mais sépia ou preto e branco). Estudo aplicado na prática acertou 70% dos casos.


FEIO DEMAIS

Erros de português são mais comuns (embora não menos errados ou feios) do que parece. Mas, como já disse há algum tempo, aqui mesmo, em esquema profissional não se pode errar. Fico de cara com as postagens da Ford nas redes sociais que trazem, sempre, o “a partir” com crase (errado assim: à partir).

Se uma fabrica de carros não tem dinheiro para pagar um profissional que cuide disto, melhor fechar. Se tem, pode demitir (o cara, a agência...).


BONITO DEMAIS

Os pegas da mais recente etapa do campeonato do Kart Clube Blumenau foram demais. Aconteceu de tudo um pouco, mais muita velocidade e emoção. Na Light, vitória de Naldo Borges com Jackson Ramos e Nilton Leitempherger em segundo e terceiro. Na Máster, Bona na frente, com os amigos Sandro em segundo e Carlos em terceiro. Classificação embolou e as últimas três etapas prometem. Setembro promete!

Podium da categoria Máster em Ascurra. Agosto 2016.

Classificação Geral 2016

Categoria Máster

Lugar
Piloto
Pontos
Eduardo Bonononi
88
Fabrício Wolff
87
Sandro Locatelli
86
Alexandre Pereira
85
Rodrigo Pereira
82
Carlos Ribeiro
78
Cristiano Baifus
70
Rodrigo Estevão
28
Thiago Schwaemlle
18
10º
Dudu Cunha
14
11º





Categoria Light

Lugar
Piloto
Pontos
Naldo Borges
100
Nilton Leitempergher
78
João Paulo / Piske
66
Guilherme Puerari
63
Jackson Ramos
62
Alexandre Caminha
52
Augusto Ittner / Diorgnes
52
Jaime Avendaño
44
Oscar Grotmann (Casico)
32
10º
Everton Siemann
28
11º
Jandyr Nascimento
15


Podium da categoria Light no mesmo dia 27 de agosto, em Ascurra.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

NÃO É BEM ASSIM...



A comunicação é uma das ferramentas humanas mais interessantes que existe. Criada nos primórdios da humanidade através de gestos e grunhidos (Homo Erectus – 400 mil anos atrás), a fala só apareceu bem mais recentemente, com o Neandertal (entre 10 mil e 3 mil anos antes de Cristo). Porém, foi com o surgimento do Homo Sapiens, mais desenvolvido fisicamente para a produção da fala, que ela tomou forma. Embora a fala – ou mesmo sua transposição para as letras, também chamada de escrita – seja fundamental na comunicação humana nos dias de hoje, a comunicação se dá de variadas maneiras. Um sorriso, ou a falta dele; um gesto carinhoso, ou brusco; um aperto de mão firme, ou não. Tudo fala. Tudo é uma forma de comunicação.

O mais interessante na comunicação, no entanto, é que lidamos com ela diariamente e não entendemos efetivamente seus códigos. É preciso penetrar na teoria da comunicação, conhecê-la um pouco mais e melhor, para praticá-la com eficiência. O processo comunicativo mostra seis elementos básicos para que ela se efetive: o emissor, a mensagem, o contexto desta mensagem, o receptor, o canal de comunicação e o código utilizado. Mas não vou aqui aprofundar a teoria. Quero apenas chamar a atenção para o fato de que uma comunicação eficiente não está centrada na mensagem do emissor e, sim, na compreensão do receptor desta mensagem. E para que quem recebe a mensagem a compreenda da forma desejada pelo emissor, este precisa se esforçar mais para emiti-la de forma que o receptor a compreenda.

A importância da comunicação na vida cotidiana é simplesmente fantástica. Você pode conquistar tudo, se souber usá-la. Você pode convencer, até sem muito esforço, se utilizar os argumentos certos e as palavras exatas para colocá-los. É de suma importância na vida profissional, mas também na vida pessoal. Para isso, é necessário estar atento aos seus objetivos na hora de comunicar. Em sala de aula, costumava utilizar um exemplo bem simples: quando você pede para alguém lhe servir um cafezinho, você tem como objetivo que o receptor da mensagem o sirva. Se você usar as palavras certas, a maneira certa de se expressar, a comunicação ideal para o objetivo proposto, sem dúvida terá o café servido à sua mão. Já se fizer a mesma coisa da maneira errada...

Costumo dizer que a comunicação não é aquilo que se diz, mas o que o outro entende daquilo que dizemos. Para alcançar objetivos, para evitar mal entendidos, reprocesso, retrabalho e, consequentemente, prejuízos, é fundamental saber se comunicar. É a razão pela qual alguns vão mais longe, acumulam conquistas, somam vitórias, enquanto outros precisam despender muito mais esforço para chegar lá – quando chegam. Pense nisso até mesmo quando for cumprimentar alguém. Um bom dia bem dado, abre portas através dos tempos.


PREJUÍZO DE OURO

Nadador norte-americano Ryan Lochte pode ganhar medalha de ouro como babaca do século. Fez uma festinha extra na olimpíada. Até aí tudo bem. Bebaço, quebrou banheiro de um posto de gasolina. Menos bem. Era só pagar pela porcaria que fez e sair quieto. Mas sair por aí mentindo que foi assaltado, merece a medalha. É tão babaca que perdeu quatro patrocinadores quando sua fraude foi descoberta. Só um deles de U$ 50 mil (dólares mesmo!). Mentira também é falta de ética. Ninguém quer seu nome atrelado a alguém antiético. 

Os antiéticos não estão só na política, como dizem de boca cheia os que não querem mais saber. Estão em todo lugar. Pode ser em uma piscina olímpica, pode ser ali, do seu lado. 


‘MIM GOSTA’ GANHAR

Pululam nas redes sociais e na mídia esportiva o quantum cada medalhista do Brasil ganhou por sua atuação na olimpíada. Cerca de R$ 35 mil. Exceto o futebol, é claro. Cada jogador da seleção masculina deve embolsar R$ 500 mil.

Fico pensando o que fica pensando o tal Isaquías...


MAIS SÉRIO

Terminada a olimpíada, o brasileiro vai voltar sua atenção para dois outros temas bem sérios: a definição do processo de impeachment da afastada presidente Dilma Roussef, que começa nesta quinta (25) e deve prosseguir até semana que vem, e as eleições municipais que vão esquentar quando começarem os programas eleitorais gratuitos. Bem mais curta, os marqueteiros precisarão tomar decisões mais rápido. Minha curiosidade é sobre as pesquisas. Na última eleição em Blumenau, o primeiro turno derrubou e enterrou os institutos.


SOLUÇÃO DIFÍCIL

Próximo prefeito de Blumenau terá mais um desafio pela frente. Conquistar apoio e convencer o Dnit a fazer logo um viaduto no trevo de Pomerode, na saída do Complexo Viário do Badenfurt. As filas na BR 470 são normalmente quilométricas durante o dia, por causa daquele entroncamento. E se formos esperar a duplicação da 470 para ter este viaduto, como dizem em Brasília, os motoristas vão surtar.


DIFÍCIL MOBILIDADE

Todo mundo reclama da mobilidade urbana em Blumenau, com razão. Mas é fato de que uma cidade com a renda per capta que se encontra aqui, o incrível coeficiente de carros por habitante (1 para 2) e entrada de carros em circulação acima da média de outros municípios, aliada às condições geográficas (morro de um lado, ribeirões e rio de outro), impõe um desafio praticamente insolúvel a um município que (como todos os municípios brasileiros) andam financeiramente à míngua.

Anota aí: não demora muito, a cidade vai ter que fazer rodízio de carros, como em São Paulo.


INDÚSTRIA DO QUÊ?

Uma das maiores bobagens que já ouvi falar foi na tal “indústria da multa”, quando se fala de fiscalização de velocidade nas ruas da cidade. Sempre será melhor fiscalização do que pessoas mortas ou mutiladas. Mas geralmente aqueles que falam em indústria da multa acham que nunca acontecerá com eles, ou com um familiar. Quando ocorrer, mudarão de ideia.


NÃO DEU, MAS DÁ

Nossa 7ª etapa do campeonato do Kart Clube Blumenau/Vale Europeu não aconteceu sábado passado porque a chuvarada não deixou. Mas deste sábado, dia 27, não escapa. O kartódromo de Ascurra já está à espera. Categoria Máster larga às 16h e a Light às 16h30min.


Para os que são multados e reclamam, fica a dica: tem lugar certo pra acelerar sem tomar multas.

Ótima pista em Ascurra. A foto é antiga: agora há gramado na área de escape e zebras listradas.